ManyFoto.com: photos from the world.

Getting started:

  1. Select the country.
  2. Find location in the text box
    [ Type in an address or City/locality: ]
  3. If necessary change the search radius.
  4. If necessary you can move the marker on the map.
  5. Start the search with
    [ See the photos ]

Or use:

  1. [ Search in ManyFoto.com by Google ]
Note:
manyfoto.com uses the Flickr API but is not endorsed or certified by Flickr.
How to get to Quintana (Viseu) Hotel Quintana (Viseu)

Photos of Quintana, Viseu

photos found. 2451. Photos on the current page: 15
1 
1
Portal gótico
Portal gótico
  • Author: vmribeiro.net Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2014-05-09 15:24:46
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'34"N - 7°54'39"W
  • VISEU (Portugal): Portal gótico de acesso ao claustro da Sé de Viseu.
  • License*: All Rights Reserved - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Claustro da Sé de Viseu
Claustro da Sé de Viseu
  • Author: vmribeiro.net Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2014-05-09 15:24:20
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'34"N - 7°54'39"W
  • VISEU (Portugal): Claustro da Sé catedral. A acção de D. Miguel da Silva, um dos introdutores do Renascimento em Portugal, foi determinante. Para além de protector do célebre Grão Vasco, é a este prelado que se deve o claustro catedralício, obra renascentista por excelência, com grandes influências da tratadística italiana. (1) O claustro tem planta quadrada, de dois pisos, o primeiro de raiz maneirista, baseada na tratadística italiana, com colunas jónicas, sendo o segundo setecentista, com colunas dóricas unidas por balaustrada; as colunas do primeiro piso pousam num murete contínuo, formando um número par de tramos, com duas colunas nos ângulos, reforçando a estrutura, em detrimento da leitura contínua do espaço; tem cobertura em abóbada de cruzaria assente em mísulas no alinhamento das colunas, sendo de madeira no segundo piso. (2) (1) www.patrimoniocultural.gov.pt/pt/patrimonio/patrimonio-im... (2) www.monumentos.gov.pt/site/app_pagesuser/SIPA.aspx?id=5790
  • License*: All Rights Reserved - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Find the Best Accomodations located to Quintana, Viseu
  • New deals listed every day
  • FREE cancellation on most rooms!
  • No booking fees, Save money!, Best Price Guaranteed
  • Manage your booking on the go
  • Book last minute without a credit card!
  • Find out more at Booking.com Reviews
Hotel Quintana
Sé de Viseu
Sé de Viseu
  • Author: vmribeiro.net Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2014-05-09 14:56:48
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'35"N - 7°54'41"W
  • VISEU (Portugal): Sé catedral. A Sé é uma das construções mais antigas de Viseu. Não se sabe ao certo quando se terá iniciado a sua construção. As referências mais antigas datam de 1094-1114, período de governo do Conde D. Henrique, que a terá mandado construir, ou então iniciou obras de reforma da catedral. As características românicas, que hoje apresenta, datarão dessa altura. A torre do relógio é românico-gótica, a fachada central e a torre dos sinos são maneiristas do séc. XVII-XVIII (autor-arquitecto de Salamanca, J. Moreno). Esta fachada substituiu uma fachada manuelina que existiu até 1635. info: www.guiadacidade.pt/pt/poi-se-de-viseu-15290
  • License*: All Rights Reserved - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Viseu (Ayer-Hoy)
Viseu (Ayer-Hoy)
  • Author: RFRumbao Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2008-06-04 14:58:00
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'24"N - 7°54'50"W
  • License*: All Rights Reserved - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Viseu (Ayer-Hoy)
Viseu (Ayer-Hoy)
  • Author: RFRumbao Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2008-06-04 14:57:09
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'24"N - 7°54'50"W
  • License*: All Rights Reserved - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Viseu (Ayer-Hoy)
Viseu (Ayer-Hoy)
  • Author: RFRumbao Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2009-04-23 11:41:03
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'24"N - 7°54'50"W
  • License*: All Rights Reserved - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Viseu - Porta dos Cavaleiros [Horsemen Door]
Viseu - Porta dos Cavaleiros [Horsemen Door]
  • Author: pedrosimoes7 Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2006-04-11 12:53:03
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'33"N - 7°54'46"W
  • Viseu, Portugal
  • License*: Attribution-NonCommercial License - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Sé de Viseu - Portugal 🇵🇹
Sé de Viseu - Portugal 🇵🇹
  • Author: Portuguese_eyes Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2019-07-19 17:58:43
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'34"N - 7°54'39"W
  • A Sé ou Catedral de Viseu é a começou a ganhar forma no século XII, em pleno reinado de D. Afonso Henriques, impulsionada pelo bispo D. Odório. Inicia-se então a construção de uma catedral no estilo românico. Apesar de restar muito pouco desta edificação, alguns autores classificaram um capitel, vegetalista, datável dos finais do século XII, bem como um portal lateral (a Sul) do século seguinte — que dá hoje acesso ao claustro — como sendo elementos prováveis do edifício original. O local onde foi implantada a Sé de Viseu, na Baixa Idade Média, foi alvo de escavações conduzidas por Inês Vaz, junto ao Paço episcopal, que revelariam um primitivo templo, aparentemente de tripla abside, datável da época suevo-visigótica. No processo da Reconquista, terão existido neste lugar dois edifícios episcopais, destacando-se o do século X, altura em que Viseu era considerada a capital do vasto território entre Mondego-e-Douro. No reinado de D. Dinis, tendo a cidade atingido um período áureo, procede-se a uma renovação profunda do edifício, ainda no século XIII, sob a alçada do bispo D. Egas. No entanto, a Crise de 1383-1385 foi nefasta para as obras, tendo estas estarrecido até depois da crise. Então, sob a alçada do novo bispo D. João Vicente, as obras durariam ainda por muitos anos. O gótico da Sé viseense seguiu as linhas originais, com um corpo de três naves e três tramos, aproximando-se assim de um estilo românico, mais do que gótico, tipicamente espaçoso. Outra peculiaridade inerente será o facto de que a monumentalidade desta catedral tenha sido obtida pela robustez das suas paredes-muralhas. No período manuelino, a Sé viseense viria a absorver intervenções de grande qualidade estética, como as típicas abóbadas das naves. Esta campanha foi obra do bispo D. Diogo Ortiz de Vilhegas e durou uma década apenas, sob a alçada do arquitecto João de Castilho. Também a acção de D. Miguel da Silva, protector do célebre Grão Vasco e introdutor do Renascimento em Portugal, seria determinante: deve-se a este prelado o claustro renascentista. Já em plena Idade Moderna, sucederam-se novas obras na Sé, concluídas rapidamente. Em 1635 ruiu uma das torres medievais, arrastando consigo o portal manuelino. A reconstrução da fachada foi bastante limitada, influenciada por uma considerável contenção de despesas. O barroco trouxe a este edifício ricas obras de talha, azulejo e pintura. O órgão, retábulo-mor (de concepção atribuída a Santos Pacheco), os painéis em azulejo do claustro e a casa do cabido são exemplos perfeitos, que revelam como esta Sé de Viseu se conseguiu manter actualizada durante as correntes estéticas dominantes do século XVIII. pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9_de_Viseu
  • License*: Attribution-NonCommercial-ShareAlike License - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Sé de Viseu - Portugal 🇵🇹
Sé de Viseu - Portugal 🇵🇹
  • Author: Portuguese_eyes Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2019-07-19 17:59:04
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'34"N - 7°54'38"W
  • A Sé ou Catedral de Viseu é a começou a ganhar forma no século XII, em pleno reinado de D. Afonso Henriques, impulsionada pelo bispo D. Odório. Inicia-se então a construção de uma catedral no estilo românico. Apesar de restar muito pouco desta edificação, alguns autores classificaram um capitel, vegetalista, datável dos finais do século XII, bem como um portal lateral (a Sul) do século seguinte — que dá hoje acesso ao claustro — como sendo elementos prováveis do edifício original. O local onde foi implantada a Sé de Viseu, na Baixa Idade Média, foi alvo de escavações conduzidas por Inês Vaz, junto ao Paço episcopal, que revelariam um primitivo templo, aparentemente de tripla abside, datável da época suevo-visigótica. No processo da Reconquista, terão existido neste lugar dois edifícios episcopais, destacando-se o do século X, altura em que Viseu era considerada a capital do vasto território entre Mondego-e-Douro. No reinado de D. Dinis, tendo a cidade atingido um período áureo, procede-se a uma renovação profunda do edifício, ainda no século XIII, sob a alçada do bispo D. Egas. No entanto, a Crise de 1383-1385 foi nefasta para as obras, tendo estas estarrecido até depois da crise. Então, sob a alçada do novo bispo D. João Vicente, as obras durariam ainda por muitos anos. O gótico da Sé viseense seguiu as linhas originais, com um corpo de três naves e três tramos, aproximando-se assim de um estilo românico, mais do que gótico, tipicamente espaçoso. Outra peculiaridade inerente será o facto de que a monumentalidade desta catedral tenha sido obtida pela robustez das suas paredes-muralhas. No período manuelino, a Sé viseense viria a absorver intervenções de grande qualidade estética, como as típicas abóbadas das naves. Esta campanha foi obra do bispo D. Diogo Ortiz de Vilhegas e durou uma década apenas, sob a alçada do arquitecto João de Castilho. Também a acção de D. Miguel da Silva, protector do célebre Grão Vasco e introdutor do Renascimento em Portugal, seria determinante: deve-se a este prelado o claustro renascentista. Já em plena Idade Moderna, sucederam-se novas obras na Sé, concluídas rapidamente. Em 1635 ruiu uma das torres medievais, arrastando consigo o portal manuelino. A reconstrução da fachada foi bastante limitada, influenciada por uma considerável contenção de despesas. O barroco trouxe a este edifício ricas obras de talha, azulejo e pintura. O órgão, retábulo-mor (de concepção atribuída a Santos Pacheco), os painéis em azulejo do claustro e a casa do cabido são exemplos perfeitos, que revelam como esta Sé de Viseu se conseguiu manter actualizada durante as correntes estéticas dominantes do século XVIII. pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9_de_Viseu
  • License*: Attribution-NonCommercial-ShareAlike License - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Sé de Viseu - Portugal 🇵🇹
Sé de Viseu - Portugal 🇵🇹
  • Author: Portuguese_eyes Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2019-07-19 17:56:57
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'34"N - 7°54'37"W
  • A Sé ou Catedral de Viseu é a começou a ganhar forma no século XII, em pleno reinado de D. Afonso Henriques, impulsionada pelo bispo D. Odório. Inicia-se então a construção de uma catedral no estilo românico. Apesar de restar muito pouco desta edificação, alguns autores classificaram um capitel, vegetalista, datável dos finais do século XII, bem como um portal lateral (a Sul) do século seguinte — que dá hoje acesso ao claustro — como sendo elementos prováveis do edifício original. O local onde foi implantada a Sé de Viseu, na Baixa Idade Média, foi alvo de escavações conduzidas por Inês Vaz, junto ao Paço episcopal, que revelariam um primitivo templo, aparentemente de tripla abside, datável da época suevo-visigótica. No processo da Reconquista, terão existido neste lugar dois edifícios episcopais, destacando-se o do século X, altura em que Viseu era considerada a capital do vasto território entre Mondego-e-Douro. No reinado de D. Dinis, tendo a cidade atingido um período áureo, procede-se a uma renovação profunda do edifício, ainda no século XIII, sob a alçada do bispo D. Egas. No entanto, a Crise de 1383-1385 foi nefasta para as obras, tendo estas estarrecido até depois da crise. Então, sob a alçada do novo bispo D. João Vicente, as obras durariam ainda por muitos anos. O gótico da Sé viseense seguiu as linhas originais, com um corpo de três naves e três tramos, aproximando-se assim de um estilo românico, mais do que gótico, tipicamente espaçoso. Outra peculiaridade inerente será o facto de que a monumentalidade desta catedral tenha sido obtida pela robustez das suas paredes-muralhas. No período manuelino, a Sé viseense viria a absorver intervenções de grande qualidade estética, como as típicas abóbadas das naves. Esta campanha foi obra do bispo D. Diogo Ortiz de Vilhegas e durou uma década apenas, sob a alçada do arquitecto João de Castilho. Também a acção de D. Miguel da Silva, protector do célebre Grão Vasco e introdutor do Renascimento em Portugal, seria determinante: deve-se a este prelado o claustro renascentista. Já em plena Idade Moderna, sucederam-se novas obras na Sé, concluídas rapidamente. Em 1635 ruiu uma das torres medievais, arrastando consigo o portal manuelino. A reconstrução da fachada foi bastante limitada, influenciada por uma considerável contenção de despesas. O barroco trouxe a este edifício ricas obras de talha, azulejo e pintura. O órgão, retábulo-mor (de concepção atribuída a Santos Pacheco), os painéis em azulejo do claustro e a casa do cabido são exemplos perfeitos, que revelam como esta Sé de Viseu se conseguiu manter actualizada durante as correntes estéticas dominantes do século XVIII. pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9_de_Viseu
  • License*: Attribution-NonCommercial-ShareAlike License - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Museu de Arte Sacra de Viseu - Portugal 🇵🇹
Museu de Arte Sacra de Viseu - Portugal 🇵🇹
  • Author: Portuguese_eyes Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2019-07-19 17:57:39
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'35"N - 7°54'39"W
  • Integrado na Catedral, o espaço de exposição do Tesouro localiza-se no segundo piso, compreende o coro-alto e três salas situadas numa das alas do Claustro Superior, entre as quais a Sala do Cabido e duas salas com elementos arquitetónicos do período medieval. A estas áreas de exposição associam-se mais dois espaços, particularmente interessantes do ponto de vista arquitetónico, mas também por constituírem miradouros, a partir dos quais se pode fruir de uma vista panorâmica sobre a cidade de Viseu em diferentes perspectivas, numa abrangência urbana e natural. Dependendo da hora do dia e das condições atmosféricas estes dois locais convidam a parar, a estar e a observar o encanto e a beleza da cidade. O discurso expositivo foi pensado numa perspectiva de comunicação da mensagem que cada objeto encerra, tanto pela sua iconografia e forma, como pelo enquadramento e função no contexto do espaço da Catedral e/ou da funcionalidade nas celebrações. As temáticas propostas para cada núcleo de peças orientam o visitante na leitura e compreensão do significado e relações das peças expostas, concretamente: O amor não se explica, Maria Sim, Louvar a Deus… com a música, Semana Santa, Serviço e missão, Testemunhar … Dar a vida, Celebrar o Amor de Deus. Este equipamento enquadra peças de particular valor artístico, de diversas tipologias e períodos que vão desde o século XII até ao século XX. A importância de alguns dos objetos artísticos expostos justificou que já tivessem sido solicitados para integrar exposições em Londres, Nova Iorque, Sevilha, Madrid, Silos, Bruxelas, Lisboa, Porto, etc. A coleção exposta, não obstante seja constituída por peças de arte sacra, não constitui objeto de interesse apenas para a comunidade católica. O valor artístico das peças, a sua importância no quadro das técnicas artísticas e da evolução das formas estéticas, imputam a este Museu absoluta relevância no panorama das instituições culturais da Região Centro. Associado ao Museu, encontra-se um espaço de acolhimento, localizado no lugar do antigo baptistério; à entrada da Catedral, no alinhamento da torre esquerda. Um espaço de relevância artística devido aos painéis de azulejos barrocos, do século XVIII, onde são proporcionadas informações sobre a Catedral, horários, celebrações, marcação de visitas orientadas à Catedral e ao Museu, venda de ingressos para o Museu, etc. mas também onde podem ser adquiridos objetos de conceito religioso, bem como outros, com a identidade da Catedral e/ou do Museu e as edições da Diocese, nomeadamente catálogos das exposições e a História da Diocese. diocesedeviseu.pt/museu-da-arte-sacra/
  • License*: Attribution-NonCommercial-ShareAlike License - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Sé de Viseu - Portugal 🇵🇹
Sé de Viseu - Portugal 🇵🇹
  • Author: Portuguese_eyes Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2019-07-19 17:57:57
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'34"N - 7°54'38"W
  • A Sé ou Catedral de Viseu é a começou a ganhar forma no século XII, em pleno reinado de D. Afonso Henriques, impulsionada pelo bispo D. Odório. Inicia-se então a construção de uma catedral no estilo românico. Apesar de restar muito pouco desta edificação, alguns autores classificaram um capitel, vegetalista, datável dos finais do século XII, bem como um portal lateral (a Sul) do século seguinte — que dá hoje acesso ao claustro — como sendo elementos prováveis do edifício original. O local onde foi implantada a Sé de Viseu, na Baixa Idade Média, foi alvo de escavações conduzidas por Inês Vaz, junto ao Paço episcopal, que revelariam um primitivo templo, aparentemente de tripla abside, datável da época suevo-visigótica. No processo da Reconquista, terão existido neste lugar dois edifícios episcopais, destacando-se o do século X, altura em que Viseu era considerada a capital do vasto território entre Mondego-e-Douro. No reinado de D. Dinis, tendo a cidade atingido um período áureo, procede-se a uma renovação profunda do edifício, ainda no século XIII, sob a alçada do bispo D. Egas. No entanto, a Crise de 1383-1385 foi nefasta para as obras, tendo estas estarrecido até depois da crise. Então, sob a alçada do novo bispo D. João Vicente, as obras durariam ainda por muitos anos. O gótico da Sé viseense seguiu as linhas originais, com um corpo de três naves e três tramos, aproximando-se assim de um estilo românico, mais do que gótico, tipicamente espaçoso. Outra peculiaridade inerente será o facto de que a monumentalidade desta catedral tenha sido obtida pela robustez das suas paredes-muralhas. No período manuelino, a Sé viseense viria a absorver intervenções de grande qualidade estética, como as típicas abóbadas das naves. Esta campanha foi obra do bispo D. Diogo Ortiz de Vilhegas e durou uma década apenas, sob a alçada do arquitecto João de Castilho. Também a acção de D. Miguel da Silva, protector do célebre Grão Vasco e introdutor do Renascimento em Portugal, seria determinante: deve-se a este prelado o claustro renascentista. Já em plena Idade Moderna, sucederam-se novas obras na Sé, concluídas rapidamente. Em 1635 ruiu uma das torres medievais, arrastando consigo o portal manuelino. A reconstrução da fachada foi bastante limitada, influenciada por uma considerável contenção de despesas. O barroco trouxe a este edifício ricas obras de talha, azulejo e pintura. O órgão, retábulo-mor (de concepção atribuída a Santos Pacheco), os painéis em azulejo do claustro e a casa do cabido são exemplos perfeitos, que revelam como esta Sé de Viseu se conseguiu manter actualizada durante as correntes estéticas dominantes do século XVIII. pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9_de_Viseu
  • License*: Attribution-NonCommercial-ShareAlike License - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Viseu
Viseu
  • Author: Barragon Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2019-07-14 10:12:13
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'48"N - 7°54'36"W
  • License*: All Rights Reserved - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Pousada Guimarães
Pousada Guimarães
  • Author: hxkrid Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2019-06-17 19:34:30
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'15"N - 7°54'45"W
  • License*: All Rights Reserved - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
Museu de Arte Sacra - Viseu - Portugal 🇵🇹
Museu de Arte Sacra - Viseu - Portugal 🇵🇹
  • Author: Portuguese_eyes Follow on flickr foto flickr
  • Date of photography: 2019-06-25 23:00:41
  • Geographical coordinates of the taken: 40°39'34"N - 7°54'39"W
  • Integrado na Catedral, o espaço de exposição do Tesouro localiza-se no segundo piso, compreende o coro-alto e três salas situadas numa das alas do Claustro Superior, entre as quais a Sala do Cabido e duas salas com elementos arquitetónicos do período medieval. A estas áreas de exposição associam-se mais dois espaços, particularmente interessantes do ponto de vista arquitetónico, mas também por constituírem miradouros, a partir dos quais se pode fruir de uma vista panorâmica sobre a cidade de Viseu em diferentes perspectivas, numa abrangência urbana e natural. Dependendo da hora do dia e das condições atmosféricas estes dois locais convidam a parar, a estar e a observar o encanto e a beleza da cidade. O discurso expositivo foi pensado numa perspectiva de comunicação da mensagem que cada objeto encerra, tanto pela sua iconografia e forma, como pelo enquadramento e função no contexto do espaço da Catedral e/ou da funcionalidade nas celebrações. As temáticas propostas para cada núcleo de peças orientam o visitante na leitura e compreensão do significado e relações das peças expostas, concretamente: O amor não se explica, Maria Sim, Louvar a Deus… com a música, Semana Santa, Serviço e missão, Testemunhar … Dar a vida, Celebrar o Amor de Deus. Este equipamento enquadra peças de particular valor artístico, de diversas tipologias e períodos que vão desde o século XII até ao século XX. A importância de alguns dos objetos artísticos expostos justificou que já tivessem sido solicitados para integrar exposições em Londres, Nova Iorque, Sevilha, Madrid, Silos, Bruxelas, Lisboa, Porto, etc. A coleção exposta, não obstante seja constituída por peças de arte sacra, não constitui objeto de interesse apenas para a comunidade católica. O valor artístico das peças, a sua importância no quadro das técnicas artísticas e da evolução das formas estéticas, imputam a este Museu absoluta relevância no panorama das instituições culturais da Região Centro. Associado ao Museu, encontra-se um espaço de acolhimento, localizado no lugar do antigo baptistério; à entrada da Catedral, no alinhamento da torre esquerda. Um espaço de relevância artística devido aos painéis de azulejos barrocos, do século XVIII, onde são proporcionadas informações sobre a Catedral, horários, celebrações, marcação de visitas orientadas à Catedral e ao Museu, venda de ingressos para o Museu, etc. mas também onde podem ser adquiridos objetos de conceito religioso, bem como outros, com a identidade da Catedral e/ou do Museu e as edições da Diocese, nomeadamente catálogos das exposições e a História da Diocese. diocesedeviseu.pt/museu-da-arte-sacra/
  • License*: Attribution-NonCommercial-ShareAlike License - photo in flikr foto flickr
    *The photographs are copyrighted by their respective owners.
photos found. 2451. Photos on the current page: 15
1 
1
Back to top